sexta-feira, 25 de junho de 2021

quinta-feira, 24 de junho de 2021

quarta-feira, 23 de junho de 2021


Fizeram o final do meu dia na véspera do S. João. Estava a apreciar o pôr do sol do meu sitio temporário e eis que oiço umas vozes de mulheres a cantar "cantares". Parecia que som vinha do centro da terra para nos ligar ao céu. De impulso segui a procurar a fonte daquele momento divino. Encontrei-AS no centro da aldeia de Chaveira a perpetuar a tradição de cantarem neste dia. Os demais não vieram fazer a fogueira e a festa de outros anos, consequências da pandemia, mas as quadras ao S. João não se deixaram de ouvir em qualquer casa da aldeia. Fotografei, filmei, conversei o suficiente para saber que a D.Isilda, a D.Graciosa, a D.Ilda e a D. Lúcia se voltam a juntar na véspera de S.Pedro.






fui ali passar uns dias para desanuviar o corpo e a mente


terça-feira, 22 de junho de 2021

 


imagino os passageiros da vida, a aguardar "as vistas", os demais que passam ou somente o tempo que se conta e desconta à rotina dos dias, sendo a própria contabilidade da vida dos outros uma rotina que os leva dali para outras paragens.


domingo, 20 de junho de 2021

sexta-feira, 18 de junho de 2021


a história que marcou o mês de abril 2021, um giveaway de um trabalho espontâneo da artista plástica @gracapaz_studiodaybyday .
aqui https://www.instagram.com/tv/CN7W8paCCc0/ o making-of do que viria a ser o quadro para a oferta. Um enquadramento tão especial de assistir e um entusiamo imediato trazido pelas palavras de Agostinho da Silva, um homem capaz de expressar o mundo que o habitava, permitindo a tantos de nós reconhecermo-nos ou descobrir-mo-nos na pertinência das suas observações do mundo e do Homem. 
Cá em casa, também o meu pai viria a participar no giveaway, afinal foi ele que ao ver, nos anos 90s, as entrevistas a Agostinho da Silva na RTP, me despertou para este outro lado de contar os Homens. Assisti ao vídeo do sorteio disponível aqui https://www.instagram.com/tv/COSwh8LCKaK/
um par de horas depois do mesmo ter ocorrido. Ainda assim fechei os olhos e cruzei os dedos e voilá a grande surpresa, saiu ao meu pai. Foi um momento feliz, com demais pensamentos que reservo. 
Gosto muito de todo o trabalho da Graça Paz, tanto como das suas partilhas focadas em despertar(-nos) e viver o melhor da vida, verdadeiramente inspiradora...
Obrigada.

Mandamos emoldurar um pouco à semelhança dos trabalhos da Graça Paz, não desvirtuando a forma como gosta de se apresentar.


segunda-feira, 14 de junho de 2021


 o depois, 
(o antes esqueci-me de registar) mas valeu a pena 


sábado, 1 de maio de 2021

sábado, 10 de abril de 2021

sexta-feira, 2 de abril de 2021

domingo, 28 de março de 2021


simbólico, exteriorizar o que queremos que nos vá dentro


 


a minha pegada de carnívora sempre foi pequena. Dispensava carne a maior das refeições, mas havia excepções em que me sabia bem, dependendo até do contexto social: do cozido no trabalho, à bifana na feira, do pica-pau com os amigos, do presunto e dos enchidos no evento anual de uma corrida, os grelhados no lanche do desconfinamento, e de maneira genérica sempre que fazia parte  do menu, tudo fora de casa. A unica carne que comprei para cozinhar e já lá vai o tempo foram bifes de perú. Mas resolvi tentar acabar com isso tudo e esta foi a primeira alternativa de lanche do pai nas tardes de desconfinamento... not bad!



 

sábado, 20 de março de 2021

quinta-feira, 11 de março de 2021

 



aqui e ali vi uns corações em macramé que me aguçavam a vontade de fazer eu mesma o meu para simbolizar o que me ia no peito. No dia que me cruzei com este, soube que de todos, era o que pelas mãos de outra pessoa, ia mais ao encontro do que pretendia. Encontrei nele ainda mais simbolismo.
da @BANDUA.CREATIVE.ARTS pela mão de alguém que também admiro e que se reinventou nestes tempos de pandemia.
#coração #rosas #mãe 

sábado, 20 de fevereiro de 2021