sexta-feira, 14 de setembro de 2018





Há umas que me escolhem para um abraço. Não foi o caso desta, mas quando escolhem sabe tao bem. Faço muitos trilhos sem sentir esta atração mas sei de duas árvores distantes que me valeram lágrimas. Entender destes abraços, os outros. Que há muito para além da reciprocidade física, há uma energia que não se explica, e uma vez sentida nem é relevante explicar mas antes experiência-la. Mas é tentador explicar o descanso imediato de um bom abraço, talvez advenha de um peso que se evanescence e pelo caminho de transforma em algo bom que se liberta para o universo.



Sem comentários: