sábado, 15 de dezembro de 2012




um dia diferente. trabalhar, o que é bom nos tempos que correm até sentar-me para almoçar às 20h00 e então descobrir que não há água em casa. Ok, o almoço já esperou tanto tempo que ainda pode esperar mais um pouco enquanto confirmo que se trata apenas de uma falha de fornecimento e não de uma falha de pagamento… decido não sujar loiça se depois não tenho como a lavar e opto por comer laranjas e sem mais demoras parto para 2ª jornada… sair de casa de bicicleta, sim, mesmo a chover, que o prometido é devido… e segundo consta fui ter com o Pai Natal que me chamou para lhe dar boleia, parece que ia a casa de um menino confirmar qualquer coisa não sei ao certo…  o que é certo é que ele precisa de fazer dieta pois dê-mos um valente trambolhão ao fazer uma curva apertada… ainda eu me desenvencilhava daquele aparato já ele rumava ao encontro de quem o continuasse a ajudar pois nesta altura não há tempo a perder…  e eu já nem fui a tempo de lhe devolver um presente que deixou caído junto à bicicleta…. Fui então ter à livraria da minha amiga Sofia do Aqui Há Gato, pois por vezes trabalha até mais tarde, para lhe pedir ajuda, duas cabeças pensam melhor do que uma e chegando lá... haviam mais de 10 cabeças, hoje é a noite de natal do Aqui Há Gato, uma noite em que alguns meninos dormem na livraria. contei-lhes a minha historia, e de como me tornei ajudante do Pai Natal, como forma de agradecimento pelas tintas que me ofereceu há 5 anos, umas tintas mágicas feitas pelas fadas da floresta e com as quais pintei as portadas da livraria. pedi que me ajudassem a decifrar a mensagem que acompanhava a prenda esquecida e afinal a prenda… era para mim… um capacete com hastes de rena para me proteger e quem sabe com poderes mágicos para me fazer voar pelo céu na minha bicicleta como as renas do Pai Natal …. e voei no trenó do imaginário infantil numa moral da historia do Henrique Semprespera  por um Pai Natal que independentemente das contrariedades da vida não desiste da sua missão.
Um post um pouco louco, onde factos e ficção se misturam mas hoje foi assim a minha realidade J


20.12.2012
Passo pela livraria à hora de almoço só para dizer olá, e estando lá meninos, dei por mim a tentar ver se reconhecia algum daquele dia… e eis que vejo uma caminhar na minha direcção e sussurrou-me “…Ana estás melhor da ferida que tinhas na cabeça?” (naquela noite eu entrei na livraria com um penso colado na testa, devido à queda com o Pai Natal)… fiquei desarmada… “sabes, que de noite ele passou cá e deixou um chocolatinho e um penso para colocarmos quando cairmos e nos magoarmos!”… “é verdade que tu depois voaste na bicicleta?”…


2 comentários:

Sofia disse...

isto há cada coisa... só podemos viver no munda da lua... obrigada Ana por caminhares ao meu lado!

Ana Fernandes disse...

… de nada! tu contas com a nossa ajuda e nós só temos a ganhar, acabamos por manter esta porta do imaginário aberta , permitindo saudáveis fugas à cadência da vida adulta :)