sábado, 5 de maio de 2007



Abri a porta, estava escuro e pensei “Não consigo ver nada, está muito escuro”. Fui instintivamente com a mão ao interruptor mas não o encontrei. Às escuras, segui em frente, abri as janelas, deixei entrar o azul-escuro da noite e quando me virei já ele havia coberto as paredes revelando esquinas e contornos que me permitiam uma visão tridimensional e pensei “Quanto mais profundo mais escuro”. À medida que avancei o meu corpo escureceu e lá no fundo quando me virei vi no meu peito reflectido o mais escuro dos azuis e pensei “Am I feeling blue?”

Sem comentários: