sábado, 29 de outubro de 2016


sábado de manhã...


Com o marcador a meio e a certeza de ali ter chegado com leituras dispersas no tempo, envergonhei-me e fiz novamente a mochila. Recomecei como se nunca ali tivesse estado. E parece bem que não, pois só assim se compreende este entusiasmo a cada capítulo que já teme o fim desta viagem.

À hora de almoço, em vez de sair para comer, sair para correr. Experimentar o folgo da falta de treino na minha subida preferida com o sol  a fazer esquecer que foi mais um verão difícil e ausente destas pequenas rotinas. O folgo, folgou-se no passo desacelerado e no coração contemplativo e sorridente que sempre guardo destes momentos.   

Sem comentários: