domingo, 5 de outubro de 2014




A minha primeira meia maratona oficial - Rock ‘n’ Roll Vodafone Meia Maratona RTP 2014. O despertador tocou às 6h, muito embora eu andasse para ali a rebolar há já algum tempo. Levantei-me, equipei-me e tomei o pequeno almoço reforçado (nestum, aveia e meia banana). Agarrei na mochila e sai de casa a tempo de ver chegar a minha boleia AN, fomos seguidamente buscar o veterano AB, mais outro amigo e seguimos para Lisboa, onde já o reboliço era imenso junto do Parque das Nações. O gentleman DS não tardaria a juntar-se a nós e lá nos encaminhamos para os autocarros que nos levariam até à ponte Vasco da Gama. Uma vez lá a minha unica preocupação eram as casas de banho. Sim porque com o nervoso a vontade dá de cinco em cinco minutos. Mesmo junto à partida conseguimos reunir a maior parte dos elementos da equipa que estavam em prova. De repente começa tudo a correr, nem tive tempo para sentir aquele frio na barriga do aviso de partida. Fiquei para trás, os demais vi-os desaparecer num ápice, já para não falar na quantidade massiva de pessoas que me ultrapassavam. Não tive bem noção da velocidade até se juntar a mim novamente um amigo que me disse que já havíamos feito 3km. "O quê, já?!" resolvemos abrandar, pelo sim pelo não, pois seria impensável chegar ao final em condições com a velocidade a que devíamos ir, entretanto ele volta a abalar e mais à frente, alcanço um outro amigo da equipa JL, tinha sofrido um pequeno estoiro e estava recompor-se, seguimos juntos com ele a controlar a velocidade, nem mais, nem menos. Senti-me muito bem durante esse tempo, íamos a um ritmo que era confortável e bom para mim. O JL foi como um "anjo" a balizar-me mas entretanto aos 13 km preveniu-me que teria de parar para fazer uma pequena necessidade fisiológica e eu ponderei seriamente esperar por ele, estava mesmo a sentir-me bastante segura na sua companhia, contudo também não havia compromisso de seguirmos juntos, pelo que o avisei que seguiria devagarinho junto à esquerda para que tentasse alcançar-me. E assim fiz, durante um bom tempo olhei muitas vezes para outros corredores que se aproximavam mais de mim, na esperança de ser finalmente ele, mas não aconteceu. Entretanto aos 15km a minha preocupação era "eliminar" mulheres. Sendo que eu também era eliminada, ao menos ir tentando manter o meu lugar. Independentemente de ultrapassar outras, fixei 2 moças que iam ao meu ritmo e vai daí comecei a aventurar-me na ambição de as deixar para trás. Até parece mal, mas uma pessoa tem que ir buscar argumentos a qualquer lado para continuar a mexer as pernas. Seguindo eu nesta árdua tarefa, pois tinha ali adversárias à minha altura, sou interpelada por corredor que se colocando ao meu lado me oferece uma garrafa de água, isto depois de uma passagem num abastecimento. Aceitei porque estava a precisar de lavar as mãos que estavam peganhentas. Por fim agradeci-lhe o gesto, ao que me respondeu sorrindo "De nada, eu é que lhe agradeço pois tem vindo a ser o meu ponto referência ao longo da corrida!". Opá quase que me caíram as lágrimas, um calmeirão daqueles a dizer que eu era o "anjo" dele, como o JL havia sido o meu. Muito bom mesmo, esta corrida já valeu por isto e pelo gesto daquele homem que além de me oferecer água ainda admite que uma cananoxa como eu consegue ser referência para alguém. Seguiu a meu lado aproximadamente durante mais 1km e eu sempre na peugada de uma das moças, já que outra tinha ficado para trás no tal abastecimento de água. Avisou-me que só faltavam 2km e começou a puxar por mim "Bora, bora". Mas ele meteu uma mudança demasiado alta e fiquei a vê-lo afastar-se enquanto continuava concentrada na moça da t-shirt preta que me faltava ultrapassar. Quando finalmente estoiro com ela, passa por mim a outra (da meias cor de rosa) que tinha ficado para trás, qual fénix renascida das cinzas a toda a velocidade, desisti dela e preocupei-me com outras e outros na recta da meta. Dei ao slide, e pensei "aguenta, aguenta, aguenta" e lá transpus o tão desejado final. Esta corrida teve 4 momentos, a partida, a companhia do JL, a perseguição ás moças e o corredor que puxou por mim. Cheguei cansada e até com uma dorzita na perna devido ao aceleramento nos ultimos 8km mas não estoirei. O tempo também esteve a meu favor, quando estava sol tive a sombra das arvores, e quando estava mais exposta o tempo estava encoberto, até o ventinho me ia refrescando. Levei o cinto com 600ml de água com isotônico distribuídos por 2 garrafas que no final ainda tinham água, isto diz muito das condições favoráveis em que fiz a corrida. O reencontro com todos no final, uns mais sorridentes e satisfeitos outros nem tanto mas todos bem é sempre reconfortante. Regressei a casa feliz com a minha prestação e com mais esta experiencia de uma meia maratona que mais foi uma louca montanha russa de emoções. 

Geral: 1702 em 5735

1 comentário:

Alex disse...

Muitos parabéns por essa concretização. Como sabes fui à mini-maratona e já achei uma vitória minha, quanto mais esses km todos! Beijinhos