sábado, 1 de fevereiro de 2014




Há momentos particularmente difíceis, em que nada nem ninguém parece querer ajudar, em que nem sei ao certo o que me tem trazido até aqui... Do sentido das coisas, sobra o que às vezes o tira…  sou vencida pelo cansaço de tanta duvida e revolta e depois, algum tempo depois regresso à “normalidade”.

Ao rever umas fotografias passei por esta, onde originalmente ocupo todo o espaço e reparei pela primeira vez na expressão da minha mãe… expressão de um estado de alma… como me agradou observá-la assim…. O tempo parou, queria ir ali, sentar-me com ela, costas com costas e sentir a paz e tranquilidade da sua presença, em vez disso, lá fui em queda livre de saudades de tudo, do rosto, da pele, do cabelo, do cheiro, do riso, da inteligência, da conversa, do exemplo, da amiga, … da mãe, da minha mãe que ela era… Linda… 


10 comentários:

Rosa Belarte disse...


Na peça que eu vejo
o epression e sorrindo são os mesmos...também a cor!
Um abraço!

Colored girl disse...

Oh... Era?
:(
Abraço

Ana Fernandes disse...

sim, Colored girl, em Maio faz 3 anos que fiquei sem ela e amanhã faria 61 anos...

susiedesonho disse...

Que Mãe linda mas pelo que vejo da Filha são muito semelhantes.

Colored girl disse...

Oh... Era bonita, sem dúvida. Tal como tu deves ser fisicamente! Tens um coração grande onde ela mora:) Beijinho

koklikô disse...

Um abraço apertado querida Ana ...

regressos disse...

Um abraço.

Lacorrilha disse...

Um abraço apertado.

Ana Fernandes disse...

obrigada a todas pelos comentários/suporte/carinho... é reconfortante nesta blogosfera que mto me tem incentivado a ver o melhor da vida real, para lá de uma realidade que me bateu abruptamente à porta e pelas vossas próprias partilhas nos vossos espaços!!

M de M disse...

pensei que tinha deixado por aqui um beijo...também tinha deixado escrito que a tua mãe está tão serena nesta fotografia que comove. Um beijo apertado daqui. *