sábado, 13 de julho de 2013



sábado de manhã...
falta foto
1.


2.



3.
pela terceira vez consecutiva preparei o saco para mais uma corrida...

ainda de manhã vesti de branco e rumei à livraria Aqui Há Gato para apresentar um trabalho final de grupo resultante de uma formação na qual participei, que não sendo relacionada com a minha área profissional, muito contribuiu para a minha cultura geral, para ouvir sobre outra realidade profissional e para conviver. o meu contributo nesta apresentação foi de logística e filmagem. constou da teatralização de uma historia de um livro infantil "A árvore generosa". correu bem, a sala estava cheia e a manhã acabou por passar depressa e deixando muita saudade...
voltei para casa, comi coisas energéticas e saí para o ponto de encontro. em pouco tempo chegamos a S. Pedro de Moel e permanecemos a admirar a paisagem no geral, e o mar em particular enquanto aguardávamos a hora da partida. 
há 2 semanas foram 15km, há 1 semana foram 19km e desta esperavam-me 21km. 
"...é muito, estou feita..." era o pensamento que rodava na minha cabeça em regime nonstop
"...não há-de ser nada..." rodava pelo meio de vez em quando. 
poucos segundos depois do sinal de partida para o 1.º Sunset Trail de S. Pedro de Moel, atravessava o areal, o qual me tinha recusado antes a pisar para não entrar areia para os tênis :O  e ainda tive atravessar um pequeno afluente de água, não pequeno o suficiente para o conseguir saltar por cima, ou seja, pés molhados e mais areia... gggrrrrr
seguiram-se 9km de piso de areia, durante os quais ponderei cruzar os braços em cima do peito, fazer beicinho, franzir a testa e dizer que me recusava a dar mais um passo que fosse... que era impossível correr em tais inclinações de areia
mas entretanto desprendi o burro e dei em avançar. 
a andar, a correr ou a "corrandar" eu queria e ia acabar a prova...
3h depois atravessei a meta. e nem dei pelas horas a passar e porquê? porque os abastecimentos ajudaram a dar energia ao corpo, porque atravessar o pinhal a fintar ramos e pinhas e a sentir uma brisa refrescante e aromatizada me fazia respirar a plenos pulmões, porque uma ponte sobre um ribeiro me confortou psicologicamente, porque percorrer um ribeiro de água fria com o nível da mesma a dar pelos joelhos mas a molhar-me praticamente as pernas todas revigorou o andamento, porque correr ao lado de um pôr do sol a espelhar no mar um reflexo que quase me batia nos calcanhares é coisa rara de me acontecer, porque os últimos 7km foram feitos praticamente sempre a correr e a cumprimentar com uma palavra de incentivo quem ficava para trás o que me fez sair da minha bolha e porque apesar de sozinha não me permiti não desfrutar de cada momento mesmo os mais difíceis, afinal fui eu que me propus fazer aquele trail, é certo que desconhecia as dificuldades (elevadas), mas o que é aquilo comparado com o que às vezes nos deparamos na vida?!

confesso que houve um corredor, o ultimo que encontrei no caminho e que acelerava às minhas aproximações, despertou em mim a competição e tive tempo e energia para preparar um ataque pela calada que o deixou para trás, "ai, ai, ai o menino!!" :)

na meta, a bela da bifana, do leitão, da laranja, do gelado, da imperial, do pastel de nata, a matar a fome e a sede, uma foto com a Rosa Mota, o banho de água gelada e o convívio com os colegas de equipa já me tinha deixado muito satisfeita, mas ainda me esperava um final de noite em modo espectadora de uma pequena reunião tertuliana bastante agradável  e instruída...

:) um dia e tanto!!


1 comentário:

regressos disse...

Que bom! :)