quarta-feira, 31 de julho de 2013



"As pessoas perguntam-me « como é que foste lá parar?». o que elas querem mesmo saber é se também correm o risco de lá ir parar. não sei responder à verdadeira pergunta. tudo o que lhes posso dizer é que é fácil."
in vida interrompida de susanna kaysen

porque uma cabeça amiga cedeu enquanto eu chegava à conclusão que alguma coisa não estava bem... como é frágil e ténue a linha que separa o estarmos bem psicologicamente e o não estarmos. eu, nauseada por esta fragilidade penso e não penso no assunto varias vezes desde há um par de horas... sem criar expectativas desejo que tudo passe rápido...


terça-feira, 30 de julho de 2013




queres andar com o corpinho à chuva?! fingir que tens agora minoridade e a fazer slhapch slhapch com os tênis enquanto entras em casa?! e rir porque sim?! então toma nota: na proxima feira quinzenal comprar pevides, e até lá interiorizar que é possível sobreviver sem elas... 


domingo, 28 de julho de 2013



hoje, antes de sair de casa escutei o amola-tesouras, ocorreu-me que ele anuncia a chuva mas não fiz caso.

não tenho imagens mas deixo aqui uma musica que me veio à cabeça enquanto me dava uma feliz vontade de rir, quando pouco depois de começar a minha volta de bicicleta (a dos domingos de manhã com 18/19km) dá em chover desalmadamente… a aragem era quente, assim como os pingos que me foram “ensopando”. e para lá do que podia ser uma sensação de desconforto, dava por mim a rir-me da real liberdade e loucura em que me deixei seguir. bastaria um telefonema para eu pôr termo aquela aventura mas não, fugi até de atender o telemóvel que tocava em meu socorro “… ah e tal e não me dava jeito parar para atender, ainda por cima ia a subir…” desculpas, só porque me estava a saber tão bem aquela lavagem de corpo e alma... 


as nuvens que andam no ar


As nuvens que andam no ar

Arrastadas pelo vento
Foram buscar água ao mar
P’ra regar em todo o tempo

P´ra regar em todo o tempo
Em todo o tempo regar
Arrastadas pelo vento
As nuvens que andam no ar

As nuvens que andam no ar…

O Alentejo não tem sombra
Senão a que vem do céu
Assenta-te aqui amor
À sombra do meu chapéu

As nuvens que andam no ar…

Dá-me uma gotinha de água
Dessa que eu oiço correr
Entre pedras e pedrinhas
Alguma gota há de haver

Alguma gota há de haver
Quero molhar a garganta
Quero cantar como a rola
Como a rola ninguém canta
As nuvens que andam no ar…


e ainda esta linda musica (que descobri sem querer)


... e saio de mansinho sapateando à Fred Astaire :)





sábado, 27 de julho de 2013



sábado de manhã... 


1. chá de frutos vermelhos
2. sabe bem ficar enroscada no sofá a não pensar em nada para não fazer qualquer barulho que me distraia de escutar-me...


sexta-feira, 26 de julho de 2013




"...A explorar de si para consigo, de si para com o outro, de si para com o Todo. Sem necessidade de impor seja o que for, seja a quem for. Em harmonia, serenamente, com Amor."

in ser espiritual da evidência à ciência de luís portela


... porque é bom fazer as pazes de coração, depois de um reencontro sorrio desta leveza que me tomou... 


segunda-feira, 22 de julho de 2013



a sala cheira a alfazema
... diz que é bom para a ansiedade e para o stress... a ver vamos se resulta :s


sábado, 20 de julho de 2013



sábado de manhã...

1. sumo de gengibre, alecrim e melancia para hidratar nestes dias de maior calor
e para esta semana esta musica  (queen-friends will be friends)


quinta-feira, 18 de julho de 2013

quarta-feira, 17 de julho de 2013




já criei uma etiqueta para as corridas... vacevj/runaway em que vacevj quer dizer "vou ali correr e venho já" porque hoje o post é novamente sobre isso. ontem, foi dia de correr na linha de água, mas à noite... a meio de percorrer os campos tivemos um "abastecimento" caseiro, e regressamos ao ponto de partida todos juntos e com um sorriso por mais um momento muito bem passado!


sábado, 13 de julho de 2013



sábado de manhã...
falta foto
1.


2.



3.
pela terceira vez consecutiva preparei o saco para mais uma corrida...

ainda de manhã vesti de branco e rumei à livraria Aqui Há Gato para apresentar um trabalho final de grupo resultante de uma formação na qual participei, que não sendo relacionada com a minha área profissional, muito contribuiu para a minha cultura geral, para ouvir sobre outra realidade profissional e para conviver. o meu contributo nesta apresentação foi de logística e filmagem. constou da teatralização de uma historia de um livro infantil "A árvore generosa". correu bem, a sala estava cheia e a manhã acabou por passar depressa e deixando muita saudade...
voltei para casa, comi coisas energéticas e saí para o ponto de encontro. em pouco tempo chegamos a S. Pedro de Moel e permanecemos a admirar a paisagem no geral, e o mar em particular enquanto aguardávamos a hora da partida. 
há 2 semanas foram 15km, há 1 semana foram 19km e desta esperavam-me 21km. 
"...é muito, estou feita..." era o pensamento que rodava na minha cabeça em regime nonstop
"...não há-de ser nada..." rodava pelo meio de vez em quando. 
poucos segundos depois do sinal de partida para o 1.º Sunset Trail de S. Pedro de Moel, atravessava o areal, o qual me tinha recusado antes a pisar para não entrar areia para os tênis :O  e ainda tive atravessar um pequeno afluente de água, não pequeno o suficiente para o conseguir saltar por cima, ou seja, pés molhados e mais areia... gggrrrrr
seguiram-se 9km de piso de areia, durante os quais ponderei cruzar os braços em cima do peito, fazer beicinho, franzir a testa e dizer que me recusava a dar mais um passo que fosse... que era impossível correr em tais inclinações de areia
mas entretanto desprendi o burro e dei em avançar. 
a andar, a correr ou a "corrandar" eu queria e ia acabar a prova...
3h depois atravessei a meta. e nem dei pelas horas a passar e porquê? porque os abastecimentos ajudaram a dar energia ao corpo, porque atravessar o pinhal a fintar ramos e pinhas e a sentir uma brisa refrescante e aromatizada me fazia respirar a plenos pulmões, porque uma ponte sobre um ribeiro me confortou psicologicamente, porque percorrer um ribeiro de água fria com o nível da mesma a dar pelos joelhos mas a molhar-me praticamente as pernas todas revigorou o andamento, porque correr ao lado de um pôr do sol a espelhar no mar um reflexo que quase me batia nos calcanhares é coisa rara de me acontecer, porque os últimos 7km foram feitos praticamente sempre a correr e a cumprimentar com uma palavra de incentivo quem ficava para trás o que me fez sair da minha bolha e porque apesar de sozinha não me permiti não desfrutar de cada momento mesmo os mais difíceis, afinal fui eu que me propus fazer aquele trail, é certo que desconhecia as dificuldades (elevadas), mas o que é aquilo comparado com o que às vezes nos deparamos na vida?!

confesso que houve um corredor, o ultimo que encontrei no caminho e que acelerava às minhas aproximações, despertou em mim a competição e tive tempo e energia para preparar um ataque pela calada que o deixou para trás, "ai, ai, ai o menino!!" :)

na meta, a bela da bifana, do leitão, da laranja, do gelado, da imperial, do pastel de nata, a matar a fome e a sede, uma foto com a Rosa Mota, o banho de água gelada e o convívio com os colegas de equipa já me tinha deixado muito satisfeita, mas ainda me esperava um final de noite em modo espectadora de uma pequena reunião tertuliana bastante agradável  e instruída...

:) um dia e tanto!!


quarta-feira, 10 de julho de 2013




podia ser assim ao pequeno-almoço, almoço e jantar (figo com iogurte)
e esta musica que não me sai da cabeça  (shine yellow_mallu magalhães)

terça-feira, 9 de julho de 2013




ainda do fim de semana, esta luz, que faz parte da minha história, adoro...





depois do cansaço de sábado à noite, resolvi fazer turismo-rural-em-casa-da-avó e fui lá passar a noite e depois o dia. basicamente o que aconteceu foi comer refeições várias e sentar no sofá com a ventoinha virada para nós a dormitar ou a conversar... sugeri que para próxima ela prepare uns programas de actividades na horta ou uns passeios de bicicleta... :) que esta inércia cansa-me a cabeça mas ela alegou com toda a razão que está muito calor ... pois é verdade... lá para o outono é melhor ;)




sábado de manhã...


agora parece que os sábados de manhã são passados todos com o mesmo ritual... preparar o saco que vou levar para a prova... prova é uma palavra com algum peso competitivo a mais para o estado de espirito com que vou para estes eventos... o que eu vou mesmo é participar... o local foi o Parque Florestal de Monsanto, o percurso foi dentro deste e depois até ao Marquês de Pombal, totalizando a modesta quantidade de 19km... foi duro, principalmente as constantes subidas, tratou-se de um trail e eu, no que respeita a corridas, estou formatada para estrada sem declives. para caminhar, declives venham eles, assim é a natureza mas para desfrutar desta prefiro vê-la a passar mais devagar :)
começou às 20h30, terminou às 22h30, sempre acompanhada, devido ao companheirismo de outros elementos da equipa. depois de cortar a meta descansamos junto das bifanas e repusemos o nível de líquidos no organismo ;)


___
actualização:

oh-pa-mim a transpirar, eu já disse que foi duro?! aqui está a prova! 
80º lugar de 186, 2h06min
aqui acompanhada do colega de equipa que sofre de companheirismo e podendo ter ficado muitos lugares à frente na meta ainda me deixou passar primeiro... tb sofre de desportivismo... foi uma especie de padrinho destes meus primeiros 19km, Obrigada!!


quinta-feira, 4 de julho de 2013



- ah, olha vinha aqui perguntar se querias ficar com isto é que eu tive a dar uma arrumação à cozinha e tenho lá isto a mais...
- ... han.... pois... então olhe deixe ficar que eu depois vejo... é giro, é giro :s ( enquanto pensava: ok! de repente não lhe vislumbro utilidade nenhuma... mas vá parece mal armar-me em esquisita)

antes

e depois

para lhe dar um up grade, resolvi pintar o suporte de branco e depois desenhar e pintar um ramo de flores igual a este conjunto de seis copos que em tempos comprei numa venda de velharias. acabou por ficar um conjunto engraçado :) agora só falta um sitio para os colocar!


segunda-feira, 1 de julho de 2013




depois das corridas o descanso da menina, apesar de uma noite mal dormida, talvez pela emoção da noite, ou por parecer que tinha a cabeça enviada dentro de um buzio :o , tal era o barulho do mar que trespassava a tenda. pela manhã um passeio para ver, de dia, aquele que tinha sido o percurso no escuro serrado da noite anterior, nomeadamente o caminho para o cabo carvoeiro e uma paragem mais longa por lá para aproveitar a brisa fresca que contrariava o calor que se fazia sentir, mais praia, mais conversa e regresso a casa para finalmente adormecer sem dar por isso. sabem aqueles fins de semana que valem por uma semana?!... este foi um desses...