terça-feira, 28 de maio de 2013



o melhor dos nossos dias...

o momento em que terminei a prova de condução de tractor (com reboque) e respirei de alívio...
e quando horas depois, o temível examinador disse que estávamos todos (os 13) passados, 
2 meses depois, todos com direito à sua carta de condução de tractores...

se há meninas a desejarem malas da chanel quem sou eu para condenar, eu cá há muitos anos que queria a carta de tractores... pepa, eu já realizei o meu sonho e tu?! :)
(até me vieram as lágrimas aos olhos!!)


segunda-feira, 27 de maio de 2013



imagem daqui


das poucas vezes que me sento no sofá, quando o faço gosto de ficar assim por uns instantes, os livros e as flores estão lá, no lugar da gaiola está um ninho e no lugar do gato está uma das almofadas...


domingo, 26 de maio de 2013

sábado, 25 de maio de 2013





e para quem quiser acompanhar-me...



Quietly Determined

Lyrics and Music by Dawn Mitschele (BMI)

Barely seen are her strong and sturdy feet.
Yet on a high cloud rests her head so high and out of reach.

But she'll make her way,
Carving through space as she sings.

I am quietly, so quietly determined,
You can make your mistakes about me.
I am quietly, so quietly determined.
I am quietly, so quietly.

I'm here, she says, in this sacred waiting room,
Just delivering on her fate that's late to bloom.

But she'll make her way,
Carving through space as she sings.

I am quietly, so quietly determined,
You can make your mistakes about me.
I am quietly, so quietly determined.
I am quietly, so quietly,
Me.




sábado de manhã...

em modo de "flower power"


o melhor dos nossos dias...

encontrei uma coisa velha :)
 daquelas que eu queria para o meu quarto :)
que é coisa para ser recuperada :))
e sim, um dia destes partilho...
;)


quinta-feira, 23 de maio de 2013




o melhor dos nossos dias...


quando recebi um saco enorme de coentros, ... é desta que eu faço a dita sopa de coentros que não me sai da cabeça mnham manham

obrigada ao sr. francisco, que no final destes 2 meses de convívio diário, vim a descobrir ontem que conheceu e trabalhou com a minha mãe... de um homem que me parecia conhecer muita coisa... até a minha mãe conheceu...como o mundo é pequeno


terça-feira, 21 de maio de 2013



o melhor dos nossos dias...

aquele momento em que aceitei um convite para correr num trilho, a linha de água e hora e meia depois descobria um retiro espiritual aqui ao lado... :)


segunda-feira, 20 de maio de 2013




o melhor dos nossos dias...

hoje foi  um dia daqueles!!... agora que está quase a terminar o melhor momento foi rir (a sério) ao ler um post de um blog, haja sentido de humor para se encarar determinados episódios da  nossa vida ...


domingo, 19 de maio de 2013



o melhor dos nossos dias...
foram aqueles raios de sol que vieram visitar-me a casa, porque hoje precisava mesmo de ficar por aqui

e enquanto faço o que me "obriga" a estar em casa, pela noite oiço a agradável conversa dos outros e sorrio quando o oiço dizer  "...fiquei varado" uma expressão que a minha avó paterna (do norte) usava com frequência...estou "barada", como quem diz estou espantada...


sábado, 18 de maio de 2013



sábado de manhã...

1. passeio na mata


{e...}

o melhor dos nossos dias...
o cheiro da floresta  a cada cada inspiração...


sexta-feira, 17 de maio de 2013




o melhor dos nossos dias...

aquele em que cheguei a  casa muito mais cedo do que é costume... home sweet home


quinta-feira, 16 de maio de 2013




o melhor dos nossos dias...

chegar a casa e ouvir no computador o resultado da recuperação de 10 minutos de uma gravação caseira, em cassete, de quando  eu tinha 4 anos, fazem parte os momentos em que canto o refrão do perfume patchouli (que o meu pai gostava) e do ali babá das doces (por influencia da mãe)

estes 10 min  têm uma interrupção pelo meio onde  se  pode escutar parte desta musica e hoje ao ver o respectivo  teledisco pela primeira vez, arrepiam-me as semelhanças ...


terça-feira, 14 de maio de 2013





o melhor dos nossos dias...
(inspiração deste blogue)

comer morangos colhidos por mim e ainda quentinhos do sol 
e ainda

dar gargalhadas com a minha avó de umas parvoíces que me permito ir dizendo pelo meio das nossas conversas, só mesmo para esparvejar*...


*esparvejar é o termo caseiro para parvoejar


sábado, 11 de maio de 2013

quinta-feira, 9 de maio de 2013



há frases que se memorizam e emergem pontualmente para nos mover... para mim, esta é uma delas:
"... quando se faz algo apostando com valores morais, o ser humano tem muita força, mesmo quando está sozinho..." 
palavras de marinho pinto em 2009 aquando da sua participação num noticiário da manhã da rtp


terça-feira, 7 de maio de 2013

sábado, 4 de maio de 2013



faz hoje 2 anos "que nunca mais..." de uma imensidão de gestos e códigos do teu amor de mãe. 2 anos depois continuo a reinventar-me todos os dias para superar a falta que me fazes e aceitar que não tenhas podido continuar a viver. 2 anos a parecer-me que foste ali e já voltas e eu vou-me entretendo enquanto não regressas. é certo que às vezes tenho que ceder à verdade, como naqueles momentos em que vislumbro alguém que se parece contigo  e penso "olha a minha mãe" e no segundo seguinte percebo "olha ali o quê ana?..." ou então naqueles em que me precipito num "tenho de contar isto à minha mãe..." e destes às vezes nem me dou conta no segundo depois e só mais tarde. uma parte de mim silenciou-se vivendo apenas das memórias. todos os dias tenho de superar em tempo real a falta que me faz conversarmos de qualquer coisa... as minhas  lágrimas não têm a minha idade, têm apenas o peso da tua ausência... quem me dera puder descansar, desta luta, um pouco que fosse... nos teus braços ... mãe...


... as minhas saudades permanecem incansáveis...


quinta-feira, 2 de maio de 2013






e quando eu digo que não vejo televisão em casa, é raro encontrar quem não me tome por estranha... coitada de mim como é que passo o meu tempo...  
faço outras coisas, não falta com que me entreter mas esta noite, fiz algo muito diferente... 
disseram-me tens uma hora e meia para fazer um fantoche... "oh que chatice" pensei... até gosto de ver fantoches mas não é assim uma coisa que me inspire, daí a dez minutos ainda não tinha nada feito e eis que ouço as palavras mágicas "se quiseres podes fazer uma marioneta"... e sempre que se fala de marionetas há uma que me vem à cabeça, este alfaiate (que reencontrei agora na internet 17 anos depois :)), tive um assim nas minhas mãos em terras checas, não o comprei mas também nunca deixei de pensar nele... mas mesmo que numa hora e meia conseguisse fazer um alfaiate, nunca seria aquele e por isso tratei de ir fazendo o que o material disposto à minha frente me permitiu. e permitiu-me a minha primeira marioneta e da qual muito me orgulho. houve quem dissesse que ele podia ter saído deste livro (Oficina de corações) que também mora cá em casa, e quem sabe se não foi inconsciente... foi já depois de chegar a casa que não me quis deitar sem antes terminar de acertar os fios que estavam difíceis de colocar na medida certa... e lá fui dormir com o meu como o de uma menina feliz com o seu brinquedo novo :)