sábado, 10 de outubro de 2009

quarta-feira, 10 de junho de 2009

serralves em festa a 30 e 31 de maio de 2009
porto a 1 de junho de 2009

i look up...




i look down...


sábado, 25 de abril de 2009



altos castelos de zeca afonso

Altos castelos de branco luar
Linda menina que vai casar
Torres cinzentas que dão para o vento
Dentro do meu pensamento

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prà guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

Na praia nova caiu uma estrela
Moças trigueiras ide atrás dela
Rola rolinha garganta de prata
Canta-me uma serenata

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prà guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

Um cavalinho de crina na ponta
Leva à garupa uma bruxa tonta
Duas meninas a viram passar
Mesmo à beirinha do mar

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prà guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

__________________________________


devaneio pessoal
Tenho esta data muito viva na memória das recordações que não vivi…Imagino um segredo, uma espécie de receita milenar …x quantidade de ditadura, y quantidade de censura e z quantidade de guerra colonial e outras especiarias diversas. Misturar tudo muito bem em lume brando. Começa-se por observar a formação de um desejo de mudança e quando levantar fervura junta-lhe, imediatamente, capacidade organizativa da melhor colheita, isto é, deverá ter na sua composição a mais elevada percentagem de confiança entre os homens.Felizmente, foram muitos os que se puderam “dar ao luxo” e ousaram confiar. A esses, eu chamo, O POVO.Nos grandes grupos de trabalho, há sempre aqueles que não fazem nada ou porque não querem ou porque não sabem qual o seu papel, há uns que se encostam, outros que não os deixam trabalhar… a estes eu chamo, o povo.No dia 25 de Abril, O POVO saiu à rua e o povo foi lá ter mais tarde. Acabaram por vestir todos a mesma camisola mas como um jogador de futebol, quando marca golo, despe a camisola para celebrar, também O POVO e o povo, no calor da emoção, acabaram por a despir, para festejar. E no dia seguinte cada um vestiu a camisola que lhe pareceu conveniente…Copo de água, meio cheio? Vs Copo de água, meio vazio?25 de Abril, sempre? Vs 25 de Abril, nunca mais?Mas minhas dúvidas, resumem-se às seguintes:“Onde” e “Como” beber a outra metade da água?Pois, Porquê?Re: porque somos 70% feitos de água.eQuando?Re: quando não aguentarmos mais de sede…

domingo, 19 de abril de 2009

hoje é o primeiro dia (de sergio godinho)
Fila H Lugar 10

A princípio é simples anda-se sozinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no borborinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo e dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


E é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que se leva a peito
bebe-se e come-se se alguém nos diz bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Depois vem cansaços e o corpo frequeja
molha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso por curto que seja
apagam-se duvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


E enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


Entretanto o tempo fez cinza da brasa
outra maré cheia virá da maré vaza
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

quinta-feira, 16 de abril de 2009



Da Lua os claros raios rutilavam

Pelas argênteas ondas Neptuninas,

As estrelas os Céus acompanhavam,

Qual campo revestido de boninas;

Os furiosos ventos repousavam

Pelas covas escuras peregrinas;

Porém da armada a gente vigiava,

Como por longo tempo costumava.


in os lusíadas, canto I, estrofe 58


segunda-feira, 30 de março de 2009

sábado, 21 de fevereiro de 2009